Categorias

Arquivo

2 de fevereiro de 2017

Começo de ano é sempre hora de apertar o cinto. É quando o consumidor se preocupa com impostos, com o quanto não deveria ter gasto nas festas, nas férias, e ainda com as compras de material escolar. Há uma grande massa caçando os melhores preços para aquela lista interminável de materiais. E é o momento certo de pensar em boas estratégias para a campanha de volta às aulas do seu cliente.
A busca pelo preço bom fica mais acirrada com a possibilidade de pesquisa na internet e com a informação de que no varejo há vendedores, digamos, gananciosos: números divulgados pelo Procon-SP indicam diferenças de até 457% em certos itens escolares.



Nesse cenário, fazer uma campanha de volta às aulas com base na geolocalização pode trazer ótimos resultados. Seguem algumas dicas para montar uma estratégia vencedora:

Geofence em regiões com muitas escolas
Você deve saber o que é geofence. Na tradução livre e direta, é uma cerca geográfica. Funciona determinando certa região para sua ação de marketing. Nesse caso, uma área que tenha várias escolas. Você pode indicar que, ao entrar num raio específico, anúncios serão disparados para aquelas pessoas. Combinando isso com dados demográficos, é possível ser extremamente assertivo na campanha. Por que funciona? A maior parte das pessoas não procura os produtos da lista de material escolar muito longe de casa e, normalmente, as escolas estão próximas às suas residências. Tem até tutorial do Google explicando como programar as geofences. É só indicar para aquela galera astuta da agência, que sabe falar a língua dos códigos.

Anúncios próximos a papelarias de bairro
Por mais que sejamos incentivados a pesquisar bastante antes de abrir a carteira, não há quem escape de fazer uma compra de última hora na papelaria do bairro, aquela em que o dono conhece todos os clientes pelo nome. Esses estabelecimentos acabam se tornando sérios concorrentes dos grandes varejistas. Dessa forma, criar gatilhos de anúncios que disparem quando o consumidor se aproxima de locais como esses pode garantir uma mudança no momento da decisão de compra. Afinal, dados da GS1 Brasil indicam que 81% dos consumidores pesquisam antes de comprar e mais da metade da população brasileira faz uso constante de smartphones.

Shoppings são um grande apelo
Você sabia que a maior parte das viagens de carro auxiliadas pelo Waze na cidade de São Paulo leva as pessoas para shopping centers? Sério. Não é para o trabalho ou a parques. Na época de férias, o acesso aos shoppings sobe ainda mais. Quem tem criança entendiada em casa sabe que chega um momento em que soltá-las num parquinho, prometendo sorvete depois, resolve qualquer mal humor. Pensando nisso, é possível programar anúncios que sejam ativados em trajetos que levam aos shoppings e que, por exemplo, avisem da promoção de material escolar de algum lojista. Enquanto as crianças gastam energia, os pais economizam dinheiro e todo mundo fica feliz.
Já são três possibilidades interessantes e que podem trazer retorno aos clientes em tempos de concorrência acirrada e, querendo ou não, crise. Mas com criatividade e um tanto de ajuda da tecnologia, melhores resultados podem surgir.

>> Precisa de um atalho?
  1. Diferenças grandes de preço fazem as pessoas saírem à caça de boas ofertas para a compra de material escolar, criando oportunidades para campanhas que usem geolocalização.
  2. Papelarias de bairro são concorrentes importantes de grandes redes de varejo e precisam ser consideradas na estratégia.
  1. Shopping centers são os principais destinos nas viagens guiadas pelo Waze na cidade de São Paulo. Um dado importante para quem quer envolver esse público.
Thiago Costa é jornalista e mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela PUC-SP e especialista em Marketing pela FAAP, onde atua na Faculdade de Comunicação e Marketing, como professor do curso de Publicidade e Propaganda e coordenador do curso de pós-graduação em Comunicação e Marketing Digital. É sócio da agência EVCOM, trabalhando na comunicação entre pessoas e marcas desde 2004. Quer saber mais? Conheça nossos autores
facebook twitter email

Já falamos muito sobre a gente

Vamos falar de você

Será que acabamos se tornam melhores amigos ? Você vai ouvir de nós em breve.