Categorias

Arquivo

29 de junho de 2017

As mulheres estão com tudo. Seja no cinema, na literatura ou na política, nunca se falou tanto em empoderamento feminino. E na publicidade a realidade não é muito diferente. Nesta semana, elas serão quase metade do júri do Cannes Lions, maior participação já alcançada na história do famoso festival de publicidade.

A intimidade entre as mulheres e as marcas deveria ser condição sine qua non. Afinal, elas são responsáveis pela maioria das decisões de compra do lar, de casas e automóveis a pacotes de férias, participando de 95% e respondendo sozinhas por 61% do total, de acordo com dados do relatório da agência J. Walter Thompson. Mas será que a sua marca está se comunicando bem com esse público-alvo tão importante?

Um estudo divulgado recentemente pela SheSpeaks e Womenkind, com 2.100 mulheres, sugere que não. Segundo os dados levantados no The Squeeze on Brand Trust: Women and the Current Trend of Distrust, elas estão céticas em relação à publicidade de um modo geral. Três em cada quatro americanas disseram que confiam nada ou muito pouco nas marcas.

O relatório Brand Intimacy 2017 Report, da MBLM, que analisou respostas de seis mil consumidores, parece concordar com a tese: das 15 indústrias analisadas, 10 são mais bem-sucedidas em sua comunicação com os homens.

As pesquisas são dos Estados Unidos, mas as conclusões podem ajudar a estruturar sua estratégia aqui no Brasil. Por isso reunimos abaixo alguns dos principais takeaways.

Varejo, apps e digital estão em alta
Para elas, as redes sociais empoderam o consumidor e ajudam a manter as marcas honestas, de acordo com o estudo da SheSpeaks. O Brand Intimacy Report também apontou uma maior intimidade com o digital: aplicativos e plataformas sociais em geral estão entre os setores que apresentam vínculo mais forte com as mulheres, além de varejo, bens de consumo, saúde e higiene. Ou seja, este é o momento ideal para investir ainda mais no ambiente digital. Fazer uma estratégia de marketing mobile pode destacar você em relação a seus concorrentes, e aproximar a sua marca das consumidoras.

Os setores que inspiram mais confiança… e estabelecem mais intimidade
De acordo com a pesquisa da SheSpeaks, as mulheres tendem a confiar mais em empresas sem fins lucrativos ou dos segmentos de bens de consumo, beleza e cosméticos.

Já o Brand Report concluiu que as 10 marcas de maior intimidade predominam em quatro indústrias: tecnologia e telecomunicações, automotivo, mídia e entretenimento e varejo. Com a exceção do último, todas essas indústrias são mais bem-sucedidas em seu relacionamento com os homens. Se a sua marca encontra-se em uma dessas indústrias, sua resposta pode estar na publicidade nativa, uma tendência que tem conquistado a confiança dos consumidores céticos da atualidade.

O que elas querem
Para as mulheres, satisfação, associada à superação de expectativas e à entrega de um serviço de qualidade superior, é o fator mais importante em uma marca, de acordo com o Brand Report.

Os estudos da SheSpeaks e da Womenkind apontaram algo semelhante: para 71% das consumidoras, qualidade é fundamental, e 73% preferem marcas e empresas que cumprem as promessas.

Oportunidade para criar vínculos com as mulheres
Rina Plapler, sócia da MBLM, acredita que há uma grande oportunidade para empresas que conseguirem criar vínculos fortes com as mulheres, indo além de flores e cores pastéis e outros clichês. “Confiar em estereótipos tradicionais de gênero pode limitar a sua estratégia”, completa.

Quer construir uma maior percepção de confiança? A SheSpeaks e a Womenkind acreditam que dá para seguir a fórmula básica de sucesso: cumprir as promessas, oferecer um bom serviço de atendimento, vender produtos de qualidade, tratar bem os empregados e manter práticas transparentes.

Vamos começar?


>> Precisa de um atalho?
  • Os tempos são de empoderamento feminino, mas a relação entre mulheres e marcas anda em baixa: a maioria diz confiar muito pouco nas marcas, que foram mais bem-sucedidas em construir relacionamento com o público-alvo masculino. 
  • As mulheres são digitais: usam redes sociais para deixar feedback sobre as empresas e têm intimidade com marcas de aplicativos e plataformas sociais.
  • No momento atual, as empresas que conseguirem criar vínculos fortes indo além do óbvio, têm a chance de conquistar confiança e intimidade.
facebook twitter email

Já falamos muito sobre a gente

Vamos falar de você

Será que acabamos se tornam melhores amigos ? Você vai ouvir de nós em breve.