Categorias

Arquivo

14 de junho de 2017

Por Flavia Rosario e Bianca Waclawek
No dia 8 de junho, tivemos a oportunidade de compartilhar um pouco do nosso conhecimento sobre mobile marketing e apresentar as possibilidades que a mobilidade abre para as marcas em um webinar promovido em em parceria com a IAB Brasil. Foi uma experiência tão bacana que decidimos dividir um pouco dos dados que apresentamos nesta conferência digital com você, leitor do The Compass.

Se você ainda tem dúvidas sobre a relevância do marketing de localização para sua estratégia, chegou a hora de mudar de ideia. Usuários de smartphone no Brasil passam, em média, quase 12 horas por semana conectados no celular. Essas horas são divididas em muitos micro-momentos ao longo do dia. Uma pessoa pode interagir até 150 vezes com o celular em um único dia.

E não basta estar presente apenas na web para atingir seus clientes. Afinal, grande parte do tempo que as pessoas passam no celular é utilizando aplicativos: para sermos mais exatas, 90% deles são baseados em GPS como o Waze – um dos mais acessados. Especialmente em cidades grandes, onde driblar o trânsito é uma necessidade constante.
dados GPS apps smartphone
E não pense que o público que usa estes aplicativos diariamente é pequeno. Por trás dele existe um mercado extremamente relevante que a publicidade está apenas começando a explorar. Só na Grande São Paulo, o Waze já conta com 3 milhões de usuário, que dirigem mais de 400 milhões de quilômetros por dia: Ou seja, milhões de usuários que podem estar passando na frente da sua loja todos os dias sem saber que ela existe. Mas você pode mudar isso.

Para atingir esses motoristas da melhor maneira, a solução é alinhar a mobilidade ao contexto com um conteúdo interessante e eficaz, como mostramos aqui. Para isso o anunciante pode explorar algumas tecnologias, que são conceitos importantes para quem quer ficar expert em Location-Based Marketing (marketing baseado em localização):

Geofencing: Esta é a tecnologia que permite ao anunciante criar um ponto geográfico específico e construir uma cerca virtual ao redor dele, com um determinado raio. Toda vez que alguém entrar nessa área, recebe o anúncio planejado.

Geo-conquesting: O geofencing não precisa apenas ser usado ao redor do ponto físico da sua marca. Por que não chamar a atenção dos motoristas que estão a caminho do seu concorrente com uma promoção? O geo-conquesting também pode ser explorado a partir da análise do histórico de localização de usuários do Waze que dirigiram até o endereço do seu concorrente.

Percebeu o potencial que o marketing de localização pode ter? Diversas marcas já estão apostando na geolocalização para chegar mais perto do seu público, como é o caso da SulAmérica, que apresentamos aqui no The Compass. E você pode ser o próximo a explorar os caminhos do marketing mobile. O mapa está aqui, nesses slides que mostram um pouquinho do que conversamos no webinar da IAB Brasil. Boa viagem!



facebook twitter email

Já falamos muito sobre a gente

Vamos falar de você

Será que acabamos se tornam melhores amigos ? Você vai ouvir de nós em breve.