Categorias

Arquivo

1 de agosto de 2017

O Waze conecta mais de 75 milhões de motoristas no mundo todo. E os inputs dessa rede de pessoas resultam não apenas em estradas com menos engarrafamento: acompanhar como as pessoas se movimentam é uma incrível fonte de dados sobre o comportamento dos consumidores. Os dados de mobilidade não mostram apenas os trajetos que fazemos: eles revelam nossas escolhas de consumo, nossos hábitos, nossas preferências de entretenimento. Essa fonte rica de informação foi o que eu apresentei para marcas e agências de publicidade do mundo todo no Cannes Lions Festival of Creativity, em junho.


O que traz o Waze para o principal festival de publicidade do mundo? O motivo número 1 é que somos uma plataforma para os anunciantes, com cases de sucesso como o City Watch, feito pela agência Grey para a nossa parceira SulAmérica a partir de dados retirados do Waze. O trabalho foi para o shortlist da categoria Creative Data em Cannes. O segundo motivo é o assunto desse texto: os números que levantamos a partir dos quilômetros rodados por cada um dos 75 milhões de Wazers revelam muito para quem quer conhecer melhor o consumidor.

Vencendo os desafios do trânsito
Visualizar os dados de tráfego em uma cidade grande revela não apenas sobre quem vive nela, mas também sobre a própria metrópole, suas regiões e suas ruas. É o que percebemos quando enxergamos esse mapa das ocorrências de acidentes de carro, em junho de 2017 em Nova York:


É uma visão clara dos desafios diários que o trânsito guarda. Como parceiros das pessoas em tantas horas de suas vidas, acreditamos que é nosso papel aproveitar dados como esse para resolver problemas reais das estradas. Foi assim que foi criado nossa feature que mostra a velocidade limite das vias para o Waze: a partir do input dos motoristas, combinado com inteligência de dados.

Foi esse pensamento que também motivou nosso projeto Connected Citizens, que compartilha dados com o governo de várias cidades para otimizar a mobilidade urbana. Cerca de 70% dos acidentes de trânsito nos Estados Unidos são reportadas no Waze antes da linha de emergência 911. Ligando a central de emergência com as atualizações em tempo real de tráfego do Waze, conseguimos reduzir em 4 minutos o tempo de resposta do socorro para acidentes. Uma redução que pode salvar muitas vidas.

Enxergando oportunidades nos destinos do consumidor
Se os trajetos nos mostram muito sobre o funcionamento do trânsito, os destinos dos Wazers são reflexos dos hábitos e escolhas dos consumidores — e de como isso dá forma às cidades grandes. É o que vemos nesse mapa de Paris, que deixa claro, por exemplo, que as pessoas se movimentam para o centro da capital para restaurantes, e se afastam em direção à periferia para visitarem lojas de departamento e supermercados.


Do ponto de vista das marcas, quando vejo este padrão de comportamento do parisiense, já sei que, se quero atingir quem está frequentando lojas de departamento para mobiliar a casa, segmento meu anúncio para quem dirige em direção à periferia.

As variações do movimento local em cidades como Paris, Nova York ou São Paulo ao longo dos meses também são ótimas ferramenta para quem quer identificar oportunidades de impactar o consumidor. Sabemos, por exemplo, que o período do Natal é o que mais leva às pessoas ao shopping, e isso se repete em todo mundo. Mas só um país se destaca com volume de navegações para shoppings extremamente acentuado no mês de junho: o Brasil, que comemora o Dia dos Namorados em uma data diferente.

Quando combinamos na análise o local de partida com o destino, então, aprendemos ainda mais sobre as escolhas que o consumidor faz fora de casa. Para onde os Wazers vão depois de jogos de futebol? Para onde eles vão depois de passar no supermercado? As respostas nem sempre são óbvias e variam conforme o contexto, mas quando descobrimos padrões, os dados revelam muito sobre a vida das pessoas e sobre o mindset dos consumidores. É o que vemos nesse infográfico que mostra as principais paradas que os Wazers fazem no trajeto trabalho-casa.


Enquanto uns buscam os filhos na creche ou escola, há os que terminem o dia na academia. Este último trajeto costuma levar ainda para uma segunda parada um tanto irônica para os atletas de plantão: restaurantes fast-food.

Com a inteligência de dados do Waze, estamos conectando as pessoas, construindo uma mobilidade urbana mais segura e eficiente, e descobrindo mais sobre o comportamento do consumidor. Explore você também o que o poder dos dados de mobilidade tem a oferecer.

Confira a apresentação completa aqui:


>>Precisa de um atalho?
  • O Waze conecta mais de 75 milhões de motoristas no mundo todo, e os inputs dessa rede de pessoas são uma fonte preciosa de informações sobre o funcionamento das cidades e o comportamento das pessoas. 
  • Compartilhando dados do Waze com a central de emergência nos Estados Unidos, conseguimos reduzir 4 minutos o tempo de resposta do socorro para acidentes em estradas.
  • Com dados do Waze, as marcas podem aprender hábitos do consumidor, como, por exemplo, onde as pessoas passam no trajeto de volta do trabalho. 

facebook twitter email

Já falamos muito sobre a gente

Vamos falar de você

Será que acabamos se tornam melhores amigos ? Você vai ouvir de nós em breve.